Recicle seu caminhão de lixo. O Rio usa o 100% elétrico da BYD

0
170
Caminhão de lixo da BYD 100% elétrico
Caminhão de lixo da BYD 100% elétrico

O Rio de Janeiro vai usar o caminhão elétrico da BYD na sua coleta de lixo e resíduos orgânicos. 

O Rio de Janeiro recebeu nesta quinta 23 o seu primeiro caminhão de lixo 100% elétrico, que começará a ser utilizado no serviço de coleta de resíduos orgânicos e compactação de lixo do Cadeg, o Mercado Municipal do Rio de Janeiro.

O veículo fabricado pela empresa chinesa BYD, gigante global de tecnologias limpas, foi adquirido pela empresa Clean Ambiental, responsável pela coleta e transporte dos resíduos no mercado. A empresa pretende substituir, a médio e longo prazos, toda sua frota por caminhões sustentáveis, com uma encomenda de 10 veículos da BYD ainda este ano. 

Para o presidente da Clean Ambiental, Eduardo Días Almeida, apesar do modelo elétrico ter preço acima da média, a operação pode se tornar mais econômica se utilizado em larga escala. “Está nos nossos planos adquirir, no médio prazo, ainda este ano, dez veículos da BYD e, no longo prazo, substituir toda a nossa frota, hoje de 60 caminhões.”

O modelo que será usado no mercado é o BYD eT8A, um veículo alimentado por uma bateria de fosfato de ferro-lítio, reciclável e com vida útil de até 30 anos.

Sendo 100% elétrico, o caminhão não emite gases poluentes nem gases do efeito estufa e é ainda bem mais silencioso que um caminhão tradicional movido a diesel.

O caminhão será carregado por meio das placas fotovoltaicas do próprio Cadeg, que tem o maior telhado de energia solar do estado, com capacidade de gerar em torno de 1,8 MW, suficiente para abastecer 1 mil residências.

“O uso consciente dos recursos naturais é uma bandeira permanente do Cadeg”, explica Marcelo Penna, diretor-presidente da empresa. “Ter o primeiro caminhão movido à eletricidade é parte desse movimento que queremos dar visibilidade, uma operação cada vez mais limpa, renovável e consciente para a sociedade.”

Manutenção simples

Segundo a BYD, manutenção simples e o desempenho do motor também são pontos fortes se comparados aos veículos tradicionais. Têm peso bruto total (PBT) de 21 toneladas na versão 4×2 e autonomia estimada de oito horas de operação por recarga (cerca de 200 quilômetros).

Diariamente, o caminhão sustentável fará o transporte dos resíduos orgânicos do Cadeg para a usina do Caju, num percurso de 3 quilômetros, com emissão zero de carbono. A estimativa é que um só caminhão deixe de emitir 14 toneladas de CO2/mês/veículo (Combustão de 1 l de diesel produz aproximadamente 4 kg de CO2, o consumo de um caminhão é de aproximadamente 10 l/h, o mesmo trabalha aproximadamente 360 h/mês).

Segundo o inventário de emissões de gases do efeito estufa do Estado do Rio de Janeiro (INEA, 2015), o setor de transportes é o que mais emite CO2 equivalentes no Estado, respondendo por 38,1% das emissões, sendo o modal rodoviário responsável por 74,7% das emissões do setor.

Este é mais um dos projetos que a BYD vem implantando no Brasil.