Balé Nacional da China traz superproduções em turnê brasileira

O Balé Nacional da China no Brasil
O Balé Nacional da China no Brasil

As superproduções Lanternas Vermelhas e Lago dos Cisnes marcam a volta do consagrado Bale Nacional da China ao Brasil depois de nove anos

O espetacular Balé Nacional da China, uma das companhias de dança mais admiradas e celebradas do mundo, chega ao Brasil depois de nove anos de ausência para uma turnê com apresentações no Rio de Janeiro (Theatro Municipal), São Paulo (Credicard Hall), Curitiba (Teatro Guaíra) e Belo Horizonte (Palácio das Artes).

Um dos trunfos desta turnê é a apresentação do balé “Lanternas Vermelhas”, com direção do cineasta Zhang Yimou, que dirigiu o filme homônimo, indicado ao Oscar, além de sucessos como “O Clã das Adagas Voadoras” e “Herói”

O espetáculo é um verdadeiro encontro das artes cênicas, que mescla teatro, dança, máscaras, malabarismo e, claro, cinema, uma vez que Zhang Yimou imprime na montagem seu olhar cinematográfico, determinante no conceito da iluminação e nas soluções cênicas, que transportam o espectador para dentro de uma cena de cinema. Lanternas tem um resultado exuberante de beleza e colorido nos figurinos.

A outra superprodução do balé que vem ao Brasil é o clássico “Lago dos Cisnes”, na versão coreografada e dirigida pela bailarina e coreógrafa russa Natalia Makarova (Kirov Ballet da Rússia, Royal Ballet de Londres, American Ballet Theatre).  

Favorito da crítica mundial 

“Os chineses inventaram a pólvora. O ocidente inventou o balé clássico. Coloque os dois juntos e espere encontrar um balé explosivo! Os bailarinos possuem uma incrível base técnica – fortemente influenciada pela escola russa com deliciosos toques do discreto estilo inglês – com piruetas sensacionais, extensões maravilhosas e excelentes pés”, definiu na sua crítica o New York Post.

Para o New York Times, o Balé Nacional da China tem “os recursos de uma mega produção cinematográfica… uma obra colossal de teatro dançado”. 

O Balé Nacional da China, única companhia estatal de balé do país, é considerado pela crítica especializada um dos mais importantes do mundo. A companhia faz um diálogo entre a cultura oriental e a dança clássica ocidental, mesclando tradições e referências dos dois universos.

Balé Nacional da China
Fundado em 1959, em Beijing, o Balé Nacional da China tem como sede o Teatro Tianqiao – um dos poucos teatros da China especializados em balé e ópera, construído especialmente para a companhia.

Seus integrantes são oriundos da Academia de Dança de Beijing, onde recebem formação rigorosa pelo famoso método da Academia Vaganova, de São Petersburgo – berço também das estrelas do mítico Kirov Ballet.

Mestre Pedro Gushev, da antiga União Soviética, estabeleceu uma base sólida de balé clássico para a companhia chinesa, e muitos de seus bailarinos foram premiados com medalhas de ouro, prata e bronze em diversas competições mundo afora.

A turnê, com patrocínio de Furnas, e CTG Brasil, filial da China Three Gorges Corporation, uma das líderes globais em energia limpa. É organizada pela Dell’Arte Soluções Culturais, com apoio do Ministério da Cidadania e da Concremat

LANTERNAS VERMELHAS
Baseado no sucesso cinematográfico homônimo de Zhang Yimou, indicado ao Oscar. “Na criação dessa obra, minha fórmula foi a de somar 1+1, o que significa combinar o balé ocidental e a cultura chinesa. Acho que é uma maneira interessante, já que neste mundo globalizado todos estão conectados, de uma maneira ou de outra.”, explica Yimou.

O coreógrafo Xin Peng Wang teve a delicada tarefa de recontar, através da linguagem do balé clássico, a obra-prima do cineasta chinês, que também assina a direção do  espetáculo. A música é do compositor sino-francês Qigang Chen, criador da música do filme de Yimou, e diretor musical das cerimônias de abertura e encerramento dos XXIX Jogos Olímpicos de Pequim.

Desde a sua estreia mundial em 2001, “Lanternas Vermelhas” já foi apresentada na íntegra em mais de vinte importantes centros na China e no exterior, com turnês a Singapura, Itália, França, Inglaterra, Estados Unidos, Austrália, Grécia, México, Rússia, Coreia do Sul e Holanda.

Sinopse
A ação do espetáculo se desenrola nos anos 1930. Uma jovem é forçada a tornar-se a terceira esposa de um velho senhor feudal. Suas duas enciumadas esposas a recebem com relutância. O quarteto passa o tempo jogando mahjong (jogo de tabuleiro de origem chinesa) e assistindo em casa aos espetáculos da Ópera de Pequim. O senhor e suas três esposas levam o jogo ao extremo de interagirem com os atores. Em meio às performances, a terceira esposa acaba se deparando com seu amante, um especialista em artes marciais do elenco da Ópera. Mas o segredo do casal é descoberto por obra do ciúme da segunda esposa, que os denuncia ao marido. Para sua surpresa, ao invés de cair em suas graças, ela só consegue enfurecer seu amo e acaba por enlouquecer.

O LAGO DOS CISNES
Balé em quatro atos com música do compositor russo Piotr Ilitch Tchaikovsky (1840-1893) e libreto de Vladimir Begitchev e Vasily Geltzer. Clássico dos clássicos que jamais perdeu o vigor, “Lago dos Cisnes” já recebeu montagens das maiores companhias do mundo e segue sendo encenada regularmente, desde a sua estreia em 1877 no Teatro Bolshoi. Recebeu ainda versões cinematográficas de sucesso – uma delas é o filme “Cisne Negro” (Black Swan, de Darren Aronofsky), com Natalie Portman e Vincent Cassel.

O Lago dos Cisnes
O Lago dos Cisnes

A diretora e coreógrafa Natalia Makarova, numa de suas vindas ao Brasil, falou sobre a importância e a longevidade de “O Lago dos Cisnes”: “O Lago é uma peça única, porque através dos contornos de um conto de fadas surge a face da realidade – as imperfeições, a fixação do verdadeiro amor. Nesse caso, o amor só pode ser realizado com a morte.” (…) O mistério do sucesso deste balé, por gerações, não encontra resposta apenas na beleza presente na música de Tchaikovsky, mas na profundidade da mensagem poética e na inspiração romântica, no conflito psicológico dos personagens heróicos que, com o desenrolar de seus destinos, retêm toda atenção de todas as plateias.”

Sinopse
“O Lago dos Cisnes” conta a história da bela princesa Odette, por quem o príncipe Siegfried se apaixona, mas que está presa no corpo de um cisne por obra do mago Rothbart. Aliado à sua filha Odile, o mago fará de tudo para impedir a quebra do feitiço e a consumação do amor entre Odette e o príncipe.

FICHA TÉCNICA “LANTERNAS VERMELHAS”
Libretista e diretor: Zhang Yimou
Música: Qigang Chen
Coreografia: Xin Peng Wang (original) e Wang Yuanyuan
Produtora: Zhao Ruheng
Cenógrafo: Zeng Li
Figurinista: Jerome Kaplan
Iluminação: Zhang Yimou
Assistentes do coreógrafo: Monica Fotescu-Uta e Fei Bo
Coordenadores: Joy Gong, Shan Jiang, Lau Chun Keung
Consultor teatral: Wang Zhiming
Consultores da Ópera de Pequim: Gao Mukun and Ma Shuai
Assistente do compositor: Bi Siyue
Estreia mundial: Balé Nacional da China, Teatro Tianqiao, Pequim, 2 de maio de 2001

Balé Nacional da China
Teatro da Ópera Nacional de Pequim da China
Diretor artístico: Feng Ying
Principais patrocinadores da companhia: Richard Lee (Hong Kong), Banco de Construção da China e UBS

Elenco
Segunda concubina: Zhu Yan, Zhang Jian, Wang Qimin, Liu Qi
Ator da Ópera de Pequim: Li Jun, Sheng Shidong, Huang Zhen, Li Nan
Primeira concubina: Meng Ningning, Zhu Yan,Guan Wenting
A esposa: Lu Na, Yan Qingyun
O Senhor: Huang Zhen, Zhou Zhaohui, Cui Kai (elenco sujeito a alterações)

FICHA TÉCNICA “O LAGO DOS CISNES”
Composição: Pyotr Ilyich Tchaikovsky
Concepção e Direção: Natalia Makarova
Coreografia: Natalia Makarova, com colaboração posterior de Marius Petipa e Lev Ivanov
Coreografia Adicional: Natalia Makarova e Sir Frederick Ashton
Cenário: Peter Farmer
Figurino: Galina Solovyeva
Iluminação: Han Jiang
Ensaiador Geral: Olga Evreinoff
Ensaiador BNS: Xu Gang
Ensaiadores: Zhu Yan, Zhang Jian, Wang Qimin, Li Jun, Yu Guohua, Chen Li’e, Wang Hao, Wang Qi, Lu Na, Jiang Wei
Coordenação de Produção: Dina Makaroff
Produtor: Feng Ying
Uma produção do Teatro da Ópera Nacional de Pequim da China

SERVIÇO

RIO DE JANEIRO | THEATRO MUNICIPAL
de 22 a 26 de maio

SÃO PAULO | CREDICARD HALL
de 29 de maio a 2 de junho

CURITIBA | TEATRO GUAÍRA
de 5 e 6 de junho

BELO HORIZONTE | PALÁCIO DAS ARTES
de 8 e 9 de junho

Forum Brasil China