China vai ter uma base na Lua na próxima década

Montagem Shutterstock
Montagem Shutterstock

A China vai desenvolver um centro de pesquisas na Lua na próxima década, informou Zhang Kejian, diretor da Administração Espacial Nacional da China (CSNA), com o objetivo de executar pesquisas científicas e explorar esse satélite natural. É a China na Corrida Espacial!

Segundo a agência chinesa Xinhua, a base deve ser construida na parte sul da Lua, no lado escuro do satélite, uma área rica em gelo, e distante das missões norte-americanas Apollo, realizadas entre 1969 e 1972, localizadas mais perto da linha imaginária do equador. Atualmente, a China é o país que mais investe em voos espaciais depois dos Estados Unidos, com a NASA.

O presidente Xi Jinping está apostando no programa espacial, que conta com popularidade entre os chineses, e deve ser chave no desenvolvimento de tecnologia nas áreas de aviação, robótica e inteligência artificial.

No começo deste ano, a China pousou a nave Chang’e-4 no lado oculto da Lua, levando astronautas a bordo de duas estações espaciais temporárias, Tiangong-1 e Tiangong-2. A agência espacial CSNA planeja agora colocar em órbita, nos próximos anos, uma unidade espacial maior e mais permanente.

Os primeiros módulos dessa estação espacial serão lançados em 2020, no foguete Long March-5B, e ainda este ano, o país deve mandar e trazer de volta um novo dispositivo não tripulado, que deveria ter pousado em solo lunar em 2017.

O centro de pesquisa, que deve ser compartilhado com vários países, deve abrir caminho para futuras missões a Marte e servir, não apenas como plataforma de pesquisa, mas também como uma estação de reabastecimento para outros projetos mais ambiciosos no sistema solar. O gelo deve ser usado para fornecer água para consumo humano e como componente para o combustível de foguete.

A missão, que será a primeira a explorar o lado distante da lua, deve analisar  a química das rochas do outro lado e compará-las com amostras retiradas do lado da Lua voltado para a Terra.

O plano do programa espacial foi apresentado durante o Dia Nacional do Espaço da China e comemorando o 46º aniversário do lançamento do primeiro satélite artificial do país, Dongfanghong, em 1970.