Primeiro Ano Novo Chinês sem fogos de artifício

Governo restringiu fogos nas comemorações de Ano Novo, para reduzir índices de poluição.

0
185

Pequim começou o Ano do Cão sem o barulho usual de fogos de artifício, uma antiga tradição que foi proibida pelas autoridades em nome da luta contra a poluição.

Foi um contraste em comparação com anos anteriores, quando os fogos eram ensurdecedores. A forte fumaça também sumiu junto com a festa de cores das luzes. Não tem mais show, mas por uma boa causa.

Outro objetivo das autoridades também era o de evitar os numerosos acidentes que ocorrem durante as festas. As novas normas dividem os chineses entre os que preferem a festa de luzes e a tradição, e os favoráveis à menos poluição e mais segurança.

Cerca de 440 cidades chinesas proibiram o uso de foguetes e fogos de artifício desde o ano passado. Uma norma adotada em dezembro agora os proíbe em Pequim. Além disso, o município endureceu a repressão contra os vendedores, forçados a se exilarem nos arredores.

O governo lançou uma ampla campanha para restringir a poluição durante o inverno, fechando várias fábricas e proibindo o aquecimento do carvão em muitas regiões.

No ano novo de 2017, Pequim chegou a registrar uma concentração de partículas finas 26 vezes maior que o máximo recomendado pela Organização Mundial da Saúde (OMS).