Polícia da China testa óculos com reconhecimento facial

Óculos são capazes de identificar indivíduos de uma base de dados de 10 mil pessoas em 100 milissegundos. Desde 1º de fevereiro, a polícia chinesa já prendeu sete suspeitos e mais de 20 com documentos falsos. 

0
546
POLÍCIA CHINESA USA ÓCULOS COM RECONHECIMENTO FACIAL PARA IDENTIFICAR CIDADÃOS
POLÍCIA CHINESA USA ÓCULOS COM RECONHECIMENTO FACIAL PARA IDENTIFICAR CIDADÃOS

Como identificar um criminoso em um país continental com quase 1,4 bilhão de chineses? Agentes da polícia da China iniciaram testes com óculos de reconhecimento facial, que permitem identificar instantaneamente criminosos em ambientes públicos. Uma tecnologia de inteligência artificial que lembra os filmes de ciência ficção e o Big Brother de George Orwell.

Desde o começo dos testes, em 1º de fevereiro, a polícia já prendeu sete suspeitos em Zhengzhou, província de Henan. De acordo com o jornal “South China Morning Post”, de Hong Kong, os dispositivos ajudaram a identificar mais de 20 pessoas que andavam com documentação falsa.

Como os óculos funcionam

Usando um escaner, o óculos examina o rosto de todos os transeuntes. Em seguida, envia a informação para a base de dados da polícia, que imediatamente informa a ficha do suspeito ao agente.

O acessório parece um simples óculos de sol. Mas, com tecnologia de inteligência artificial e a ajuda de uma pequena câmera fotográfica incorporada, cruza a informação com uma base de dados num dispositivo móvel, similar a um tablet.

Segundo o fabricante, a LLVision, os óculos identificam indivíduos de uma base de dados de 10 mil pessoas em 100 milissegundos. Ao contrário de sistemas anteriores, este apenas necessita de uma imagem de cada pessoa para fazer uma pesquisa.

A China é um dos países que mais investem em sistemas de segurança que utilizam a tecnologia de reconhecimento facial.  O país é líder no desenvolvimento do reconhecimento facial, um dos principais recursos utilizados para reforçar a vigilância policial. Nos últimos tempos, foram colocadas 170 milhões de câmeras CCTV pelo país. Está prevista a instalação de mais 400 milhões nos próximos 3 anos.

Em Outubro do ano passado, o South China Morning Post informou que Pequim deve desenvolver um sistema de reconhecimento facial que permitiria identificar qualquer um dos seus cidadãos através da foto do documento de identificação, com 90% de precisão.

Com informações do  Wall Street Journal.