Brasil credencia 300 agências e espera crescimento em 2017 do turismo com a China

BCReport Especial entrevista Eduardo Maia da Silveira, assessor especial do Ministério do Turismo

0
83

Em recente viagem à China para participar de eventos de inauguração da primeira etapa do complexo da Câmara Brasil China de Desenvolvimento Econômico (CBCDE), o assessor especial do Ministério do Turismo, Eduardo Maia da Silveira, conta em entrevista especial ao BCReport, que o governo brasileiro e chinês precisam avançar na área do turismo.  Segundo Silveira, o Brasil já credenciou mais de 300 agências de viagens brasileiras para receberem melhor os turistas chineses que vierem ao país este ano. “Isso significa mais qualidade e segurança nos nossos serviços prestados a esses turistas”, destaca Silveira.

img-20160718-wa0000

A China é o maior parceiro comercial do Brasil, mas o conhecimento dos brasileiros sobre a China ainda é muito pequeno. O senhor acaba de conhecer o País, a convite da CBCDE. O que o senhor poderia destacar desta viagem?

Essa viagem foi uma excelente oportunidade para estreitarmos as nossas relações comerciais e culturais. Aproveitamos para discutir, tanto com organizações públicas quanto com o meio empresarial, investimentos conjuntos, inovação e transferência de tecnologia, entre vários outros temas que certamente poderão contribuir para a promoção de nossas potências.

Que setores o senhor acha que são pouco ou nada explorados na parceria com a China. E como o setor de turismo, especificamente, pode ser uma ponte para novos negócios?

Acredito que a nossa relação com a China está madura em diversos setores da economia, mas ainda precisamos avançar muito no turismo internacional. E definitivamente o ecoturismo é um campo extremamente promissor para estabelecermos parcerias estratégicas positivas para as duas partes. Hoje, o Brasil é o número um em atrativos naturais em todo o planeta, segundo o Fórum Econômico Mundial, e a experiência dos empresários chineses poderá nos ajudar a transformar essa nossa potencialidade em vantagem competitiva.

Como o ministério do Turismo pretende estreitar mais os laços com a China?

A China, além de ser o principal parceiro econômico do Brasil, é também o maior emissor de turistas no mundo, enviam mais 100 milhões de viajantes para o mundo. Apesar disso, apenas 55 mil turistas chineses visitaram o nosso país em 2015. Assim, estamos trabalhando para aprimorar os serviços prestados especificamente a esse público. Para isso credenciamos mais de 300 agências de viagens brasileiras para receberem melhor os turistas chineses que vierem ao país este ano. Isso significa mais qualidade e segurança nos nossos serviços prestados a esses turistas.

A parceria entre a CBCDe e o ministério é estratégica em que sentido? Como o senhor avalia a abertura deste complexo, que pretende ser a ponte entre os dois países?

A inauguração da sede da CBCDE na China é extremamente estratégica para o Ministério do Turismo. Com este espaço, ganhamos um reforço nas nossas iniciativas de promover e divulgar a cultura, a natureza, os atrativos turísticos e todas as potencialidades do país para os chineses.

Na área da administração pública, o que o senhor poderia destacar desta sua experiência com as autoridades chinesas? E das cidades como Dongguan e Shenzhen, que o senhor conheceu?

Foi muito interessante ver o nível de organização urbana das cidades visitadas, chamando atenção, principalmente, para o plano de ordenamento territorial. Tudo é muito bem dividido e organizado.

Que parte do cotidiano chinês (gastronomia, hábitos, cerimonial, etc…) mais o impressionou? 

Muita coisa me impressionou: os hábitos da população, sua pontualidade, e a gastronomia, que é muito interessante.

 

Fotos: Silveira participa de agenda a convite da CBCDE

20161209_080536

20161209_080509

20161208_111107

20161207_170751