A China deve manter o consumo total de energia em cerca de 4,34 bilhões de toneladas de carvão equivalente padrão, em 2016, aumentando o consumo de combustível não fóssil para 13%, segundo a meta estabelecida pela entidade governamental, Administração Nacional de Energias.

O consumo de gás representará 6,3% do consumo total de energia neste ano, e a proporção do consumo de carvão cairá para menos de 63%, segundo a meta da entidade.

Do lado da oferta, a expectativa é que o país produza em 2016, em torno de 3,6 bilhões de toneladas de carvão equivalente padrão, e produça 200 milhões de toneladas de petróleo, e 144 bilhões de metros cúbicos de gás.

O país quer reduzir o consumo de energia por unidade do PIB em pelo menos 3,4% anualmente em 2016, segundo a organização.

A Administração pediu esforços para promover a energia limpa e a redução das emissões, otimizar ainda mais a estrutura energética do país e fortalecer a cooperação internacional em energia.

A China planeja investir 30 bilhões de yuans (R$ 16,7 bilhões) na construção de infraestrutura de recarrega em 2016 para promover o uso de veículos elétricos. O país construirá este ano 2 mil estações de recarregamento, 100 mil postos públicos e 860 mil privados. O país também modernizará a rede elétrica rural.

O consumo energético da China aumentou 0,9% anualmente para 4,3 bilhões de toneladas de carvão equivalente padrão em 2015.