Foram mais de 5 anos planejando a Expedição Oriente, a viagem dos sonhos da Família Schurmann ao berço dos grandes navegadores do mundo. Dois desses anos foram para construir o veleiro Kat, e depois disso, mais 19 meses navegando por mares e oceanos do mundo até chegar a China, o destino inspiração desta famosa família de navegadores brasileiros.

“A emoção de realizar um sonho é difícil de descrever. Neste caso, então, é praticamente impossível. Não foi nada fácil chegar até aqui”, contou Vilfredo Schurmann ao desembarcar esta semana em Xangai.

“Aqui é o ‘berço’ da Expedição Oriente e da tese que defende os chineses como grandes descobridores”, completou, referindo-se à polêmica teoria de que os navios chineses teriam aportado na América 70 anos antes de Colombo, circunvagado o globo um século antes de Magalhães e chegado à Austrália 320 anos antes de Cook, entre outros fatos históricos.

A expedição, que partiu de Itajaí, em 21 de setembro de 2014, contou com o apoio da Embaixada da China no Brasil, do Consulado Brasileiro em Xangai e outras instituições chinesas. No Brasil, o projeto recebeu o patrocínio de Estácio, HDI Seguros e Solví.

“Depois de seguir todos os trâmites necessários, fomos informados que o Kat seria o primeiro veleiro brasileiro a atracar em um porto chinês e que, nos últimos 5 anos, apenas dez embarcações estrangeiras desse tipo conseguiram essa permissão”, comemorou o capitão Vilfredo.