O governo chinês está investindo 195 milhões de yuans (uns 107 milhões de reais) para restaurar a parte ocidental da Grande Muralha no noroeste da província de Gansu, e está em fase de conclusão, segundo informaram a agência Xinhua a autoridade local responsável por relíquias culturais.

Os consertos na Grande Muralha ao longo da cidade de Jiayuguan, incluindo a passagem de Jiayu, que é um património mundial, começaram em maio de 2012 e já completaram em torno de 95 por cento, incluindo o reforço das estruturas de madeira, a restauração de pinturas, construção de sistemas de drenagem e instalação de equipamentos de controle de inundações e incêndios, disse o vice-diretor do departamento municipal Jiayuguan relíquias culturais, Wang Tuan.

A maioria das seções ocidentais da Grande Muralha são construídas com barro, em vez de pedra, e muitas peças foram erosionadas por tempestades de areia ou mal exploradas por agricultores. Os especialistas criaram diferentes tipos de argila como uma réplica dos materiais originais para corrigir seções danificadas, disse Wang.

Jiayu Pass é o ponto de partida de uma seção da Grande Muralha construída durante a dinastia Ming (1368-1644). Mais de um milhão de turistas visitaram a muralha no ano passado.

A Grande Muralha foi construída durante o reinado do primeiro imperador da China, Qin Shihuang (259-210 aC), para impedir a entrada de invasores estrangeiros. Ela se estende por 22.000 quilômetros de diâmetro de dez províncias, municípios e regiões autónomas, no norte do país, incluindo Liaoning, Hebei, Tianjin, Beijing, Shanxi, Mongólia Interior, Shaanxi, Ningxia, Gansu e Qinghai.