As autoridades sanitárias chinesas determinaram uma campanha de limpeza nas áreas públicas para prevenir a disseminação de vírus transmitidos por mosquitos, entre eles o Zika, que já registrou dez casos no país, informou a agência oficial Xinhua.

Segundo o diretor da Comissão Nacional da Saúde e Planejamento Familiar chinês, Li Bin, a campanha será feita principalmente em pontos de ônibus, portos, mercados, zonas residenciais, cidades e postos fronteiriços. Li aconselhou os cidadãos a cuidarem da limpeza de suas casas e locais de trabalho para evitar a proliferação de insetos transmissores de vírus.

“A supervisão e análise de doenças infecciosas deverá ser aumentada e é preciso estar especialmente vigilante em áreas próximas à fronteira”, destacou Li Bin.

A campanha começou na segunda-feira 1 de março, no mesmo dia em que foi registrado o nono caso de infeção pelo vírus Zika na China, diagnosticado em um jovem de 23 anos que voltou da Venezuela no dia 19 de fevereiro.

O primeiro caso

No dia 10 de fevereiro, um homem de 34 años de Ganxian, provincia de Jiangxi, no Sudeste da China, apresentou o primeiro caso de infecção pelo virus Zika na China. As autoridades sanitárias informaram que o homem, que apresentou sintomas quando ainda estava na Venezuela, está em quarentena e em recuperação.

O homem, que esteve na Venezuela entre 28 de janeiro e 5 de fevereiro, chegou à China via Hong Kong e está internado em um hospital em Ganxian desde o dia 6. Segundo as autoridades, o risco de difusão do vírus é “extremamente baixo” devido às temperaturas frias nesta época do ano na região.