No meio de um cenário econômico difícil no país, o presidente do Banco do Povo da China, Zhou Xiaochuan, tentou tranquilizar o mercado global durante sua fala na reunião do G20, que está sendo realizada em Xangai esta semana, com ministros das Finanças e membros de bancos centrais

“A China vai buscar um equilíbrio entre crescimento, reestruturação e gerenciamento de risco”, disse Zhou Xiaochuan, em um mensagem enviado aos líderes mundiais. “Embora a direção da reforma seja clara. O ritmo vai variar, mas a reforma vai continuar e a direção não muda.”

A China, segunda maior economia do mundo, detém a presidência do G20 este ano. Os ministros reunidos em Xangai têm pedido melhor coordenação política para conter a fraqueza da economia global e a instabilidade dos mercados financeiros, mas não chegaram a um acordo sobre quais medidas adotar.

Zhou Xiaochuan reiterou as garantias de que o país não realizará outra desvalorização de sua moeda, o yuan, para sustentar a economia. O presidente do Banco chinês também buscou controlar as expectativas em torno da velocidade da agenda de reforma econômica da China.