A relação entre a fabricante brasileira de aviões Embraer e a nova linha aérea chinesa Colorful Guizhou Airlines voa com o vento a favor. A Embraer confirmou um contrato para fornecimento de um pacote de componentes para a frota dos jatos do modelo E190, que vendeu no ano passado para a empresa chinesa. Os valores desta transação não foram divulgados, mas o pedido de compra de até 17 aeronaves E190 está avaliada em US$ 834 milhões, se todas as opções forem exercidas.

A Embraer já entregou dois aeronaves em dezembro, tem cinco encomendas firmes e 10 opções de compra. Segundo Embraer, o contrato assinado agora é para o programa pool de peças de reposição criado para minimizar os investimentos em recursos e estoques de alto custo, além de reparos. Este é o primeiro contrato que a Embraer assina no programa para aviação comercial na China.

A companhia aérea Colorful Guizhou Airlines, do sudoeste da província de Guizhou na China, foi fundada em junho do ano passado e é cliente da Embraer. Além de ser a primeira linha aérea de Guizhou, foi também a primeira compradora de jatos E190 da empresa brasileira na China.

Colorful Guizhou Airlines assinou um pedido para comprar até 17 aeronaves E190, das quais dos já foram entregues em dezembro, cinco são encomendas firmes e 10, opções de compra. A transação é avaliada em US$ 834 milhões, se todas as opções forem exercidas.

A empresa chinesa pertence ao Guizhou Industrial Investment (Group) Co. Ltd. e vai operar dentro de Guizhou e de províncias vizinhas, com um plano de frota de até 30 aeronaves até 2020. O projeto acompanha o rápido crescimento das viagens aéreas domésticas, que é esperado na China. O nome “Colorful Guizhou” (Guizhou colorido) reflete a diversidade cultural da província, lar de 49 minorias étnicas (quase 40% da população) que têm trajes tradicionais distintos e coloridos.

O Market Outlook da Embraer, com previsões do panorama geral do mercado, aponta que o acesso ao transporte aéreo na China vai crescer duas vezes mais rápido em cidades secundárias, em comparação com outros mercados. As estatísticas mostram que 72% dos mercados de transporte aéreo doméstico do país consistem em rotas de baixa e média demanda, que transportam entre 25 e 300 passageiros por dia cada. Hoje, apenas 25% dessas cidades têm pelo menos dois voos diários, sendo que 55% não oferecem qualquer opção para a viagem de volta no mesmo dia.

A Embraer tem presença na China desde 2002 com a Harbin Embraer Aircraft Industry Co. Ltd. (HEAI) através de uma joint venture com a China Aviation Industry Corporation II (AVIC II), para a construção e venda de aviões ERJ-145 para o mercado chinês.